Mídia

23/06/2012 - Ana Paula Simões

A necessidade do organismo de repor os estoques energéticos e funcionais além de regenerar tecidos durante o sono precisa ser levado tão a sério quanto treinar.

O corpo pede descanso após um treino e isso deve ser feito de maneira adequada caso contrário, não haverá tempo hábil para recuperação necessária para a próxima atividade.

Onde fica o osso sesamóide?

O sesamóide é encontrado embaixo da articulação do dedo grande ( hálux) e são tipicamente de tamanho pequeno (como dois feijões). Há dois ossos sesamóides em cada pé, sendo um medial e outro lateral (foto1). Mas algumas pessoas podem te-los ainda, separados ao meio, o que chamamos de sesamóide bipartido.

O que faz o osso sesamóide?

Os ossos sesamóides estão embutidos no tendão flexor do hálux mas o que torna estes ossos pequenos tão importantes não é a sua localização, mas a natureza os quais foram concebidos para funcionar como um ponto de apoio ou um braço de alavanca para os tendões flexores. Equivalente a seu trabalho como um ponto de apoio, os ossos sesamóides também atuam como um guarda-costas para seus tendões circundantes onde sua função é a de atuar como um fulcro para segurar os tendões mais longe da articulação. Em cima da proteção, os sesamóides também servem para reforçar os efeitos de tendões do ponto de vista mecânico, como roldanas. (figura 2)

Porque eles doem?

O problema com os ossos sesamóides é a sua localização ( em alguns indivíduos o tamanho deles também influencia). Como você pode ver acima, eles estão situados em uma área de alta pressão. Este simples fato, combinado com a sua proximidade com os tendões , e esportes de impacto propicia inflamação e dor o que damos o nome de SESAMOIDITE.

Uma pisada pronada no antepé e sobrepeso também contribuem para o aumento de carga e pressão na região. Além de andar/dançar/correr na “meia ponta”. Além de inflamar eles podem até fraturar ( figura 3)

Como tratar?

Em casos menos graves, medicamentos anti-inflamatórios funcionam muito bem na redução da dor. Há também cintas/ órteses que são usadas para segurar o hálux ou bandagens que evitam a hiperextensão, movimento que irrita os tendões em torno do osso sesamóide. Solas de sapatos almofadadas ou palmilhas também pode ser usados para reduzir a dor.

Mas o ideal é procurar um médico para fazer o diagnóstico correto pois existem casos que ocorrem necroses desses ossos e o tratamento pode variar desde fisioterapia, infiltrações podendo chegar a ser cirúrgico em alguns casos.


Figura 1:

Figura 1: Sesamóide Sesamodite.

Figura 2:

Figura 2: Sesamóide Sesamodite.

Figura 3:

Figura 3: Sesamóide Sesamodite.

Artigo originalmente publicado em: Web Run.

Copyright ©2013 Todos os direitos reservados
Design e Desenvolvimento por Diogo Álvaro