Atenção, atleta! Dez sinais de que seus pés podem estar tentando lhe dizer algo

Atenção, atleta! Dez sinais de que seus pés podem estar tentando lhe dizer algo

Enquanto tudo parece estar funcionando corretamente, podemos não prestar muita atenção nos nossos pés. Eles são frequentemente cobertos com meias e tênis e, como diz o ditado, “fora da vista, fora da mente”. No entanto, qualquer sinal de dor na região pode rapidamente tornar-se difícil de ignorar (e de treinar). Em alguns casos, isso pode ser uma coisa boa, pois sintomas de condições mais sérias podem se manifestar inicialmente nas extremidades inferiores, acendendo logo o sinal de alerta. Aqui estão alguns sintomas comuns a serem observados, assim como possíveis explicações sobre o que podem significar para sua saúde.

  1. Pés frios
    Para muitas pessoas, ter pés frios é mais do que uma figura de linguagem. Embora seja possível simplesmente ter sensações de frio sem qualquer causa subjacente séria, os dedos cronicamente frios podem ser um sinal de má circulação sanguínea. Condições relacionadas ao fumo e ao tabagismo podem reduzir a capacidade dos pulmões de absorver totalmente o oxigênio, levando a níveis mais baixos de oxigênio no sangue. Além disso, a doença arterial periférica e várias outras formas de doença cardíaca podem causar estreitamento de suas artérias, o que pode impedir o fluxo de sangue por todo o corpo. Extremidades como mãos e pés são particularmente suscetíveis à má circulação, que pode se manifestar através de sensações de frio. Se você perceber que seus pés estão quase sempre frios ou dormentes, consulte seu médico do esporte para descobrir se há algum problema.
  2. Coceiras nos pés
    Por mais desagradáveis e perturbadores que sejam, os pés irritados normalmente não são um sinal de uma condição médica séria. O culpado mais comum da coceira e da descamação nos pés é uma infecção fúngica conhecida como pé de atleta. Essas infecções prosperam em ambientes úmidos, geralmente começam entre os dedos dos pés e ocorrem mais comumente em pessoas cujos pés ficaram muito suados durante o esporte. O pé de atleta pode ser tratado facilmente com medicamentos antifúngicos. Mas em alguns casos, as coceiras nos pés podem resultar de uma reação alérgica a cremes de pele ou de uma condição imune como a psoríase. Fale com o seu médico do esporte se as coceiras nos pés persistirem ou se agravarem, impedindo sua performance.
  3. Descoloração da pele
    Uma infecção eruptiva ou fúngica, como o pé de atleta, geralmente leva à pele escamosa e avermelhada, mas muitas outras condições também podem resultar na descoloração dos pés. Uma doença conhecida como fenômeno de Raynaud é caracterizada por uma sequência de mudanças de cor na pele como resposta ao frio ou ao estresse. Durante um caso de Raynaud, a área afetada fica branca quando as artérias começam a diminuir o fluxo sanguíneo. A área afetada pode começar a ficar fria ou dormente e, eventualmente, ficar azul (cianótico) à medida que o fluxo sanguíneo é ainda mais restrito. Às vezes, à medida que a circulação melhora, sua pele pode ficar vermelha antes de finalmente voltar ao normal. Raynaud ocorre mais comumente sem uma doença subjacente. Em alguns casos, no entanto, pode ser um sinal precoce de uma condição mais séria, como artrite reumatóide ou lúpus.
  4. Dedos em baquetas (arredondados)
    Dedos em baqueta envolvem mudanças no calçado e apoiar o dedo ou unha na hora de correr ou pular. Alguns casos também podem ser resultado de alteração biomecânica e aterrissagem excessiva de antepé. Os sintomas comuns do baqueteamento das unhas incluem o amolecimento do leito ungueal, o abaulamento da ponta do dedão e a curvatura das unhas para formar um ângulo mais agudo com o dedo do pé (frequentemente descrito como lembrando a cabeça de uma colher invertida). Uma maioria significativa de casos de baqueteamento provém de doenças cardíacas e pulmonares que reduzem os níveis de oxigênio no sangue. Converse com seu médico se você notar alterações em seu dedo ou unhas dos pés que se tornaram arredondadas, pois isso pode ser um sinal de uma doença grave, como câncer de pulmão, doença cardíaca e doença de Crohn. Melhor investigar!
  5. Pés inchados
    A maioria das pessoas experimenta edema nos pés em algum momento de suas vidas. Muitas vezes, a causa do inchaço resume-se a algo tão simples como ficar de pé por um longo período de tempo, usar tênis apertado ou menor, vôos longos ou alguma lesão como um tornozelo torcido. No entanto, se o inchaço durar mais de um dia, pode ser um sinal de uma condição médica mais séria. Fluidos como o sangue podem se acumular nas pernas e causar inchaço como resultado de insuficiência cardíaca congestiva, doença renal ou mesmo como efeito colateral de medicamentos receitados para diabetes e pressão alta. Inchaço também pode resultar de inflamação decorrente de artrite reumatóide ou osteoartrite. É importante procurar atendimento médico de emergência se o edema for acompanhado por sintomas como dor no peito, dificuldade para respirar ou tontura, que podem indicar um coágulo de sangue ou outra doença cardíaca grave.
  6. Calor nos pés (queimação)
    A sensação de queimação nos pés pode variar de leve (com dormência e formigamento) a grave (dor que pode até interferir no sono). Algo tão simples como pés cansados ou uma inflamação comum como pé de atleta pode causar sintomas de curto prazo, como queimação ou formigamento. Até mesmo uma prova mais intensa que você fez pode ter esse resultado. Mas em casos mais graves, a queimação nos pés pode ser um sinal de dano nos nervos resultante da diabetes ou de uma condição circulatória conhecida como doença arterial periférica, mas já vi também no meu consultório tumores (benignos) neurológicos como o neuroma de morton. Procure atendimento médico se a sensação de queimação durar várias semanas, se os sintomas se tornarem mais intensos e dolorosos ou se você começar a perder a sensibilidade nos pés. Enquanto isso, sugiro descansar e elevar seus pés para aliviar os sintomas e rever seus tênis analisando se a caixa anterior está confortável.
  7. Dor no dedão do pé
    A dor generalizada no pé é uma coisa, mas às vezes a dor específica aponta para uma condição mais pontual. Se a dor estiver focada na ponta e no canto da unha, pode ser um sinal de que você está desenvolvendo uma unha encravada. Se for súbita e severa , localizada na articulação , pode sugerir uma forma complexa de artrite conhecida como gota. Os sintomas da gota incluem dores articulares intensas, seguidas de desconforto persistente e, muitas vezes, ocorrem à noite sem qualquer aviso. A artrite reumatóide pode ser outra explicação, uma vez que os sintomas iniciais tendem a afetar as articulações dos dedos dos pés e dos dedos das mãos antes de passar para as mãos e os pés. Se a dor for insidiosa, pode ser artrose ou até mesmo o famoso joanete.
  8. Unhas dos pés amarelas
    Tal como acontece com outras partes do seu corpo, a descoloração nas unhas pode ser um sinal de que algo está errado. Uma infecção por fungo na unha geralmente começa como uma mancha amarela sob a ponta. Infelizmente, como você pode ter aprendido na biologia do ensino médio, os fungos tendem a se desenvolver em ambientes escuros, quentes e úmidos, tornando a parte de baixo de uma unha a casa perfeita. Se deixada despercebida ou não tratada, essa descoloração pode se espalhar mais profundamente na unha e em outros dedos vizinhos. Além das dores e danos cosméticos, as infecções das unhas normalmente não representam um grande risco à saúde. No entanto, se você tem diabetes, uma infecção fúngica não controlada pode prejudicar a circulação do sangue para os pés e levar a complicações de saúde mais graves.
  9. Dedos em garra/tortos
    Dedos em garra (como de uma ave) envolvem mudanças no calçado e apoiar o dedo ou unha na hora de correr. Na maioria das vezes, a causa principal é a alteração biomecânica, onde os dedos compridos sofrem pressão na frente do tênis. Mas também pode ser da aterrissagem excessiva no antepé. Os sintomas comuns são dores na parte de cima das falanges e na parte do colchão plantar, onde o tendão faz a quebra para dar o impulso, conhecida como cabeça dos metatarsos. Converse com seu médico para ver o que fazer para corrigir, pois se a garra for flexível, ainda existe tratamento conservador (sem cirurgia). Se você notar alterações em seu dedo e edema, pode ter lesão associada de ligamentos, os quais também podem fazer um dedo “ encavalar” ou “ subir” no outro. Se isso acontecer, será difícil usar tênis e praticar o esporte.
  10. Unhas brancas
    A descoloração branca das unhas não aponta necessariamente para um problema de saúde. Leuconíquia (às vezes chamada de “mancha do leite”) é um termo médico para manchas brancas comuns que começam em torno da base da unha e se movem conforme ela cresce. Ao contrário da crença popular, essas marcas não são um sinal de deficiência de vitaminas e são geralmente consideradas inofensivas. Uma marca branca na ponta da unha, no entanto, pode ser mais grave. Uma lesão pode fazer com que parte da unha se separe do leito ungueal, o que pode fazer com que a ponta da unha pareça mais branca. Além disso, algumas infecções fúngicas manifestam-se primeiro como marcas brancas na ponta da unha. Se não for controlada, essas infecções podem se espalhar pelo resto da unha, levando a uma maior descoloração e, potencialmente, fazendo com que a unha se separe dela mesma. E antes que me pergunte: aqueles hematomas (vermelhos) na unha após uma corrida são sinais de compressão mecânica!
Não há comentários

Poste um Comentário