Correr na esteira ou na rua: o que é melhor para você?

Correr

Correr na esteira ou na rua: o que é melhor para você?

Sofrer menos impacto nas articulações, controlar mais o ritmo, correr com os amigos ou sozinho. Na hora de escolher, alguns optam por correr na rua, enquanto outros preferem a esteira. Mas qual a diferença entre essas duas modalidades de corrida?

Correndo na esteira

Segundo o Dr Adriano Leonardi, médico ortopedista especialista em cirurgia do joelho e traumatologia do esporte, a esteira absorve melhor o impacto do exercício e consequentemente sobrecarrega menos os membros inferiores. “Como o solo já está em movimento, a pessoa apenas tira o pé do chão, havendo menor gasto energético”, explica.

Apesar de ser indicado após a reabilitação de lesões ortopédicas, correr na esteira “tem como desvantagem um menor gasto calórico e menor resposta neuromuscular”, enfatiza o doutor.

O treinador e presidente da ATC (Associação dos Treinadores de Corrida de São Paulo), Nelson Evêncio, destaca os benefícios do aparelho. “A esteira facilita mais o controle de ritmo, uma vez que não há variação de percurso e velocidade. Isso facilita muito aos iniciantes”, fala.

A recomendação é que a esteira seja usada no máximo duas vezes por semana, com treinos não muitos longos.

Correndo na rua

A corrida de rua é indicada para quem quer perder peso e melhorar a autoestima Foto: Andriy Petrenko/ Fotolia

De acordo com a Dra. Ana Paula Simões, ortopedista e especialista em traumatologia esportiva, correr na rua além de garantir maior sociabilidade, traz uma melhor resistência ao atleta. “Seus músculos são forçados de forma mais intensa a reagir e absorver impacto”, explica.

Porém, se o praticante é amador deve se atentar para não sobrecarregar a musculatura, já que o terreno é bem duro. “A reação ao solo volta com maior intensidade aos ossos, músculos, articulações, tendões, ou seja, todos os tecidos recebem maior energia podendo entrar em fadiga de forma mais rápida e inflamar ou lesionar”, alerta a Dra. Ana Paula Simões.

Vale fazer o exame do aparelho locomotor para saber qual a sua pisada, se necessário usar palmilha, além de contar sempre com o auxilio do educador físico especializado em corrida.

O treinador e especialista em fisiologia do exercício, Andre Ricardo de Souza, indica a corrida de rua para quem quer perder peso, melhorar a autoestima e os índices de saúde como: glicose no sangue, triglicérides e colesterol.

“Treinar ao ar livre proporciona ganhos imensuráveis, se for de dia, tem a exposição da luz natural, que estimula a produção de vitamina D. No caso do treino noturno, estimula a regulação térmica e evitar ambiente fechado ou ar condicionado são fatores que motivam o treino na rua”, finaliza

Intercalando

Para o professor Diego Lopez, técnico de triathlon e corrida, as duas modalidades juntas trazem benefícios importantes para o corredor como a melhora do sistema cardiovascular, do tônus muscular, autoestima, coordenação e melhora do funcionamento orgânico como um todo.

Assim o segredo é intercalar os treinos nas diferentes superfícies, fortalecer a musculatura da perna, usar tênis com amortecimento adequado e que corrijam a pisada, caso seja necessário.

Artigo originalmente publicado em: Webrun.

Tags:
Não há comentários

Poste um Comentário