Dor no calcanhar? Pode ser sério!

Dor no calcanhar

Dor no calcanhar? Pode ser sério!

Após um treino de 13km, em piso de concreto e com um tênis gasto, Ricado Tadeu, servidor público de 44 anos, passou a sentir dores fortes no calcâneo. Sem saber o que estava acontecendo com o seu pé, o corredor, que pratica o esporte há três anos e meio, procurou um especialista sete meses depois de ter sentido pela primeira vez a fisgada no calcanhar. Ao concluir a consulta, foi constatado que Ricardo estava com a tendinopatia insercional do aquiles. E agora?

De acordo com a ortopedista Ana Paula Simões, membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, a tendinopatia é uma lesão degenerativa nos tendões. Ocorre um processo de desgaste e inflamação no tendão do calcâneo (aquiles), que conecta os músculos da panturrilha ao calcanhar, usado durante o caminhar, correr e saltar. O processo é lento e gradativo, podendo ou não causar a sua ruptura no último estágio da doença.

– Minha lesão acabou ficando crônica. Nos treinos atrapalha, mas quando eu esquento ela acaba sumindo, mas quando acordo, não consigo pôr o pé no chão. Sinto uma dor local, como se fosse uma pancada. Aparece quando fico algum tempo parado e começo a andar. O tendão de aquiles lesionou justamente no osso calcâneo – contou Ricardo.

Ana Paula explicou ao GLOBOESPORTE.COM que para se obter o diagnóstico, o paciente precisa passar por alguma etapas. A primeira é a anamnese, que é uma entrevista realizada pelo especialista com a intenção de se descobrir o ponto inicial da lesão, busca relembrar os fatos. Em seguida, deve se realizar um exame clínico para ajudar a classificar. Podem ser exames de imagem como o ultrasom e a ressonância.

– Podemos dividir os fatores em intrínsecos e extrínsecos. Os extrínsecos estão relacionados com o treinamento excessivo, o nível de competição, movimentos repetitivos, erro na execução do gesto esportivo, contrações vigorosas, superfície de treinamento, condições ambientais e equipamentos utilizados. Os intrínsecos incluem, dentre outros, alterações anatômicas estruturais e biomecânicas, desequilíbrios e/ou encurtamentos musculares, déficit de força muscular, nível do suprimento sanguíneo do tecido e fadiga – informou a ortopedista.

Nesse sentido, Ana Paula deixa claro que os fatores para o surgimento são muitos e os portadores desta condição devem ser analisados individualmente, até mesmo do ponto de vista biomecânico.

Tratamento

  • Focar os cuidados nos fatores intrínsecos e extrínsecos;
  • Perda do peso excessivo para que a musculatura não fique sobrecarregada;
  • Alongar antes de depois da corrida;
  • Usar gelo no local inflamado quando a lesão estiver no início;
  • antiinflamatórios e palmilhas ortopédicas;
  • Fisioterapia e massagens no local inflamado.

Ricardo, inicialmente, ficou três meses parado e se dedicou totalmente à fisioterapia. Leu muito a respeito do seu caso e procurou mais de um especialista para iniciar seu tratamento.

– Fiz sessões de fisioterapia recomendada pelo ortopedista e melhorou um pouco. Hoje faço pilates e ajuda muito. Treino normalmente, monitorado pela minha fisioterapeuta. Nossa teoria é que a lesão não vai piorar. E, realmente, voltei a correr tem dois meses e não piorou. Sei que meu caso é difícil de curar, pelo local da lesão, mas não tem mágica. É ter paciência e alongar bastante – concluiu o mineiro.

Figura 1: Lesão no Calcanhar.

Figura 1: Lesão no Calcanhar.

Figura 2: Região na qual o atleta sente as dores da lesão (Foto: Editoria de Arte / GLOBOESPORTE.COM).

Figura 2: Região na qual o atleta sente as dores da lesão.

Figura 3: Ricardo trata sua lesão com muitas sessões de fisioterapia e alongamento (Foto: Arquivo Pessoal).

Figura 3: Ricardo trata sua lesão com muitas sessões de fisioterapia e alongamento.

Artigo originalmente publicado em: Globo Esporte.

8 Comentários
  • Príscila
    Postado em 03:41h, 24 janeiro Responder

    Boa noite
    Estava parada da academia já algum tempo
    Voltei tem 1 semana.
    Hoje não estou conseguindo apoiar o pé esquerdo no chão.
    Estava bem e de repente essa dor horrível.

    • Ana Paula Simões
      Postado em 21:51h, 25 janeiro Responder

      Olá Priscila, boa noite, tudo bem? Segue meu telefone, para agendar consulta: (11)9.4006-5262 ou (11)2507-9021. Assim vou te examinar e entender melhor o seu caso. Abraço!

  • Marco Maturo
    Postado em 11:09h, 14 janeiro Responder

    Bom Dia, estou passando estas dores interminaveis, estou com 53 anos e 127kg um dia resolv apenas brincar de bola com os amigos, aquela batida de qunta-feira joguei apenas 10 minutos e comecou a doer eu parei emediatamente, mas no dia seguinte nao conseguia andar normalmente, isso faz 30 dias e hoje as dores fica latejando ou seja esta inflamado…como posso resolver estas dores…..NO TENDAO CALCANEO…..

    • Ana Paula Simões
      Postado em 23:08h, 14 janeiro Responder

      Oi boa noite. Segue telefone para tratarmos disso! Agende o mais rápido possível: (11)9.4006-5262. Abraço!

  • Claudio Moura
    Postado em 14:13h, 05 dezembro Responder

    Bom dia Doutora Ana Paula, tenho 48 anos e jogo voley de areia regularmente de duas a três vezes na semana, há uns 6 meses estou convivendo entre analgésicos e anti-inflamatórios pra dor, pergunto se o tendão pode se romper mesmo estando fortalecido ? sinto que estou só piorando devido a alta carga de esforço. Pergunto ainda se uma cirurgia pode resolver meu problema, pois não pretendo parar com o esporte. Obrigado

    • Ana Paula Simões
      Postado em 12:48h, 11 dezembro Responder

      Oi Claudio,

      É muito difícil te responder essa pergunta. Antes de um médico indicar um tratamento, o paciente precisa ser examinado e é necessário levar em consideração várias questões pessoais e o exame físico. Por favor, agende uma consulta para que eu possa te examinar e te dar uma resposta.

      Abraço!

  • ednaaquarius@gmail.com
    Postado em 18:35h, 26 outubro Responder

    Que Deus , ilumine sempre esta medica, para podermos ficar sem estas dores, no pé na perna e que nos cure,.È horrivel ter dores sempre… Obrigada. logo, vou ter q, marcar uma consulta. ou ir na sta casa….

    • Ana Paula Simões
      Postado em 18:48h, 26 outubro Responder

      Oi Edna, obrigada pelas lindas palavras!

      Segue o telefone para você agendar a consulta: (011) 2507-9021 ou (011) 94006-5262.

Poste um Comentário