Dor nos pés após Carnaval: problema comum que merece atenção especial

Dor nos pés após carnaval

Dor nos pés após Carnaval: problema comum que merece atenção especial

Após o carnaval, a dor do pé é tão comum entre os dançarinos e foliões que já é esperada! Mas isso não significa que a dor irá embora se você ignorá-la. Vamos descobrir o que está causando o incômodo e o que você pode fazer para melhorar mais rápido e voltar a treinar:

1. Dor na frente do pé

Diagnóstico provável: Metatarsalgia.

Sintoma: Dor e alteração de sensibilidade sob abola anterior do pé. Para dançarinos e foliões, esta é comumente causada pela instabilidade nas articulações dos dedos menores devido ao excesso de trabalho, forçando o movimento. O que gera uma sobrecarga na região causando inflamação.

Tratamento: Gelo e descanso. O fortalecimento dos músculos que controlam flexão do dedo do pé pode ser útil. O uso de anti-inflamatórios e a prescrição de órteses podem aliviar a pressão na região dolorida.

2. Dor no dedão do pé

Diagnóstico provável: Joanete.

Sintoma: Aparecimento gradual de dor no dedão do pé ou na lateral do pé. Aumenta com a descarga de peso, pressão ou mesmo apenas com o toque na área. Esta lesão é muitas vezes associada a outros defeitos posturais e biomecânicos ou que envolvam outras articulações (na maioria das vezes, uma tendência a pronação ou pisar para dentro durante os desfiles e pulos).

Tratamento: Se detectado precocemente, o tratamento com exercícios de fortalecimento, alongamento, espaçadores, acupuntura e/ou prescrição de órteses. Casos graves podem exigir intervenção cirúrgica.

3. Dor na sola do pé

Diagnóstico provável: Fascite plantar, uma lesão de esforço e sobrecarga que afeta a sola do pé.

Sintoma: A faixa resistente, de tecido fibroso (fáscia), que liga o osso do calcanhar à base dos dedos do pé fica inflamada e dolorosa. A maioria das pessoas experimenta a dor na parte da manhã ou depois de pular no carnaval. Esta dor também pode ser influenciada pelo aperto no músculo da panturrilha ou o tendão de Aquiles, ou ao dançar em uma superfície dura ou um piso rígido como asfalto.

Tratamento: Descanso e gelo. Fisioterapia para liberar os tecidos apertados e rígidos. O médico poderá recomendar anti-inflamatórios e/ou uma tala durante a noite para proporcionar um longo período de descanso e alongamento para os tecidos afetados. Fisioterapia, acupuntura e ondas de choque podem ser indicados.

4. Dor embaixo do dedão

Diagnóstico: Sesamoidite. Os dois ossos sesamoides não estão ligados a quaisquer outros ossos do corpo. Eles proporcionam uma superfície de apoio, enquanto o dançarino está no antepé dançando ou pulando.

Sintoma: O tendão que corre entre os sesamoides pode se tornar inflamado, causando sesamoidite, uma forma de tendinite. A dor sob o dedão do pé pode ser sentida ao dobrar e esticar o dedo grande do pé.

Tratamento: Descanso enquanto a dor e a inflamação da sesamoidite diminui, raio-x para descartar uma fratura sesamoide, uma almofada para aliviar a pressão, ou órteses sob medida.Um especialista em pés pode identificar e corrigir desequilíbrios musculares e ajudar com o alívio dos sintomas agudos. Em alguns casos, pode ser necessário imobilizar.

5. Dor quando pulo ou danço na ponta dos pés

Diagnóstico: Artrose no dedão ou Hallux Rigidus ou Limitus.

Sintomas: Dor e/ou restrição de movimento nas articulações do dedão do pé. Um dançarino/folião sem mobilidade e, principalmente, se tem o pé cavo (alto), fará com que os ossos na articulação anterior sejam sobrecarregados, podendo sofrer um processo degenerativo precoce de desgaste da articulação.

Tratamento: Durante a fase aguda, gelo e repouso. Bandagem e mobilização pelo médico experiente pode ser eficaz no alívio da dor e diminuir a progressão. Compensação com órteses e medicamentos podem ajudar. Casos graves podem exigir intervenção cirúrgica.

Melhorando as dores, bons treinos!

Tags:
Não há comentários

Poste um Comentário