Fascite Plantar: Dor no calcanhar​ | Dra. Ana Paula Simões

Fascite plantar

Dor no calcanhar

Um dos motivos mais freqüentes de atendimento ortopédico, principalmente nos atletas, é a dor no calcâneo, conhecida como dor no calcanhar.

 Ela pode ter várias causas, sendo uma das mais freqüentes a Fascite Plantar, que nada mais é que a inflamação da fáscia plantar.

 

A fáscia plantar é uma aponeurose (tecido que recobre a musculatura) da planta do pé que se estende do calcâneo aos dedos, ela ajuda a manter o arco longitudinal do pé. 

É importante fazermos a distinção entre fascite plantar e o esporão de calcâneo.

O esporão do calcâneo faz parte do quadro de fascite plantar e se caracteriza por um crescimento ósseo no calcâneo, o qual localiza-se adjacente a fáscia plantar e é causada pela tração dos músculos flexores curtos dos dedos.

Sabemos hoje que a presença ou ausência do esporão, bem como seu tamanho não é a causa da dor nos corredores. Cerca de metade das pessoas com fascite plantar tem esporão do calcanhar e mais ou menos 10% das pessoas sem dor no calcâneo também tem esporão isso ocorre devido a processos degenerativos.

Sinais e Sintomas

Fascite plantar​

O paciente com fascite plantar apresenta dor na parte posterior da planta do pé.

Esta dor ocorre principalmente nos primeiros passos quando o paciente levanta-se da cama pela manhã, pois os pés permanecem em flexão plantar e relaxados durante toda à noite, além disso, atividades esportivas ou ficar longos períodos em pé também causam dor importante.

No caso do esporão, algumas vezes o pé adapta-se a esta proeminência e a dor pode até diminuir. Por outro lado, um esporão indolor pode transformar-se em doloroso em conseqüência de uma pequena lesão, como pode acontecer durante a corrida. Mas a maior causa da dor é devido a essa proeminência óssea ser comprimida contra a parte posterior do tênis de corrida. Tanto o tendão como os tecidos moles podem ficar inflamados e doloridos quando isso acontece.

Causas e Diagnóstico

  • Alterações na formação do arco dos pés (principalmente a acentuação do arco, conhecido como pé cavo);
  • Alterações na marcha (pisada errada) também são fatores causais da doença;
  • Encurtamento do tendão de Aquiles e da musculatura posterior da perna.

A pressão sobre o centro do calcanhar causa dor se o esporão estiver presente. Pode-se fazer radiografias para confirmar o diagnóstico, mas estas podem não detectar os esporões em formação. A ultra-sonografia ou Ressonância magnética são métodos importantes de avaliação da integridade e qualidade da fáscia plantar.

Tratamento

O tratamento da fascite plantar, inicialmente, é sempre conservador.

  • Medicação com anti-inflamatórios e analgésicos;
  • Fisioterapia com exercícios para alongamento da fáscia plantar e do tendão de Aquiles;
  • Suspender as atividades de corrida ou longas caminhadas;
  • Perder qualquer peso excessivo;
  • Palmilhas com acolchoamento do calcanhar podem minimizar o estiramento da fáscia e reduzir a dor além de absorção do impacto

Para aqueles que não responderam ao tratamento, existem as opções:

  • Injeções de corticóide na fáscia plantar;
  • Uso do night splint, que é uma espécie de imobilizador de tornozelo que alonga a fáscia plantar enquanto estamos dormindo;
  • Terapia por ondas de choque extracorpórea, produzindo uma neovascularização com conseqüente reparação do tecido inflamado. Novo método eletrohidráulico de tratamento que é menos invasivo.

A cirurgia fica reservada para os pacientes que não respondem a essas medidas citadas.

Só se deve realizar uma intervenção cirúrgica para extrair o esporão ou a fasciectomia quando a dor constante dificultar a marcha e na falha do tratamento conservador.

 

Nem toda a dor no calcâneo é Fascite Plantar, portanto, principalmente os pacientes que não apresentam benefícios com o tratamento, devem ser avaliados para outras causas em potencial como, por exemplo, síndrome do túnel tarsal, tendinite insercional do aquiles e atrofia da gordura plantar do calcâneo.