Ceratodermia palmoplantar pode ser indicada com a pele grossa nas mãos

Ceratodermia palmoplantar pode ser indicada com a pele grossa nas mãos

Sabe quando você treina muito e sua pele faz calo, nas mãos e pés? Essa é uma reação normal da sua pele após sofrer uma pressão excessiva: ela reage formando mais pele. Mas existe algumas pessoas que fazem essa hiperceratose de forma geneticamente exagerada. Esse é o termo usado para descrever o engrossamento da queratina na epiderme de forma genérica. A ceratodermia palmoplantar é um tipo de hiperceratose.

A epiderme é a camada mais externa da pele. A queratina é uma proteína encontrada nessas regiões que ajuda a proteger o corpo e nós atletas com nosso esforço repetitivo e alguns casos, excesso de carga, acabamos formando mais calos em algumas regiões.

Geralmente  nas áreas da pele que foram irritadas ou pressionadas à pressão forma-se as calosidades, mas somente o médico pode avaliar se existe saliência óssea que está estimulando essa formação. Em alguns casos também pode ser erro biomecânico ( postural)

Visão geral

Como já dito, a ceratodermia palmoplantar de Unna-Thost é um tipo de hiperceratose. Ela acomete mãos e pés de forma difusa que afeta principalmente as palmas das mãos e a planta dos pés.

Geralmente começa na primeira infância com vermelhidão nas palmas das mãos e plantas dos pés. Essas regiões gradualmente tornam-se mais grossas e desenvolvem uma aparência amarelada e cerosa ( como calos). A associação com o aumento da sudorese (hiperidrose) é bastante comum e há tendência a infecções fúngicas e bacterianas principalmente nos pés.

Essa condição geralmente não se estende além das mãos e dos pés. Pode raramente afetar as articulações dos dedos e as unhas, mas geralmente não envolve a pele fina da parte superior dos pés ou das mãos. A ceratodermia palmoplantar de Unna-Thost é herdada de forma autossômica dominante e causada por mutações no gene KRT1.

Tratamento da ceratodermia palmoplantar

A escolha do tratamento depende do tipo e do lugar da hiperceratose. Por exemplo, o incomodo dos calos pode ser aliviado pela confecção de palmilha personalizada à área afetada caso seja nos pés e nas mãos uso de luvas protetoras. 

Para uma grande área acometida pode ser necessária a remoção com um podologo ou com um procedimento de desbridamento médico. 

Os agentes químicos ​​receitados por médicos no tratamento da hiperceratose podem incluir:

⦁ Ácidos para quebrar a queratina, fazendo com que a pele grossa amacie e descame, diminuindo a espessura da pele.
⦁ Agentes baseados em Uréia para aumentar o índice da água na pele e para amaciar uma área. Isto pode ajudar a diminuir a queratina, embora a um grau inferior do que os ácidos.
⦁ Tretinoína para estimular a descamação da pele que se tornou densamente. Com a formulação indicada pelo médico.
⦁ Creme do corticosteroide para casos bem específicos.
Existem alguns tratamentos que eu associo quando o paciente tem dor, incluindo fisioterapia e fortalecimento.
Raramente vejos casos que preciso fazer intervenção cirúrgica.
Prevenção
Há diversos métodos para impedir os vários protocolos da hiperceratose, incluindo :
⦁ Use sapatos e tenis confortáveis, bem acolchoados para melhorar a saúde do pé e impedir a formação de bollhas e de calo nos pés.
⦁ Evite o uso materiais ásperos nas mãos e pés.
⦁ Hidrate regularmente e esfolie quando necessário para tirar o excesso de pele
Bons treinos, valentes!

Ana Paula Simões – Ortopedista e médica do esporte/ Instituto reaction Ibirapuera- SP. CRM 108667/SP

Dra. Ana Paula Simões
Médica do esporte, ortopedista e traumatologista, professora instrutora e mestre pela Santa Casa de São Paulo, especialista em medicina esportiva e cirurgiã do tornozelo e pé.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

× Entre em contato!