Sedentarismo: Como deixar a doença para trás e ter uma vida saudável

Sedentarismo: Como deixar a doença para trás e ter uma vida saudável

A modernidade, a tecnologia, as inovações trazem muitos benefícios para nosso dia a dia – controle remoto, vidro elétrico, pedido de comida a um toque no celular… e porque se esforçar? Qual a razão de fazer esporte se tudo está a nossas mãos? Muitas vezes horas sentados durante o trabalho ou estudo. E chegar em casa, fora o stress, colaboram para que nos tornemos menos ativos e mais acomodados. É preciso estar atento para não se deixar dominar pelo sedentarismo. A doença que mais mata no mundo!

Embora a maioria associe o sedentarismo com falta de atividades físicas, podemos definir o sedentário como a pessoa que gasta poucas calorias por semana com atividades físicas e/ ou ocupacionais (como a faxina da casa e a ida a pé à padaria). Uma pessoa sedentária não consegue gastar o mínimo de 2.200 calorias por semana com atividades físicas. Que é o que o adulto costuma consumir por dia.

É preciso estar atento ao sedentarismo e literalmente se mexer! Há fortes evidências cientificas de que pessoas ativas têm menor risco de doença cardíaca, acidente vascular cerebral, diabetes tipo 2, e até alguns tipos de câncer, depressão e demência.

Do ponto de vista ortopédico, minha outra especialidade, melhora a mobilidade articular, alongamento e flexibilidade, isso sem falar na resistência física e muscular que ficam afloradas com a prática esportiva. Sabe aquela escada ofegante? Levantar algo do chão? Fica cada vez mais difícil ainda mais para quem não faz esporte. A cada ano que passa nossas fibras musculares vão atrofiando, dando lugar a gordura.

Praticar esporte traz ainda benefícios para a mente: como melhora do humor, aumento da concentração, redução do estresse e sono reparador.

Sempre é tempo de começar. Não dê a desculpa : Eu não tenho tempo!
Pode começar com uma simples caminhada de 20-30 minutos diariamente e vá subindo progressivamente. Durante a pandemia a OMS ajustou de 150 a 300 minutos por semana de atividade física moderada. O tempo e a intensidade do exercício devem ser adequados a cada perfil e de preferência prescritos e acompanhados por profissionais da educação física e da saúde.

Atividade física nos ajuda a permanecer saudável, com energia e independente a vida toda! E o horário? Quando você puder, coloque seu tênis e liga no piloto automático: só vai! Para se tornar um hábito tente não quebrar a rotina.

Faça o que você tenha felicidade (o esporte de sua preferência) e de quebra leve um amigo (a) porque juntos, um estimula o outro! Não esqueça de criar objetivos alcançáveis e comemore ao realizar! A sensação é única e me marca (@draanapsimoes) para saber que estamos no caminho certo!

Bons treinos, valentes!

Fonte: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/337001/9789240014886-por.pdf?sequence=102&isAllowed=y

Dra. Ana Paula Simões
Médica do esporte, ortopedista e traumatologista, professora instrutora e mestre pela Santa Casa de São Paulo, especialista em medicina esportiva e cirurgiã do tornozelo e pé.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Entre em contato!