Costocondrite pode ser manifestada por dores no peito

Costocondrite pode ser manifestada por dores no peito

A costocondrite surge quando a cartilagem que liga cada costela ao esterno inflama. É uma doença torácica muito comum, especialmente em adultos jovens, que às vezes pode resultar de um trauma no tórax durante atividades esportivas ou esforço repetitivo. Atendi um paciente essa semana com dor no peito após prática de musculação. Mas já vi acontecer muito no crossfit e corridas de endurance, onde o esforço é maior.

Sintomas da costocondrite

O principal sintoma será dor no peito; pressionar suavemente a cartilagem sobre a caixa torácica usando os dedos deve replicar essa dor, que geralmente é mais proeminente também nas duas ou três costelas mais próximas. Outros movimentos e ações involuntárias, como espirrar ou tossir, podem fazer a dor aumentar.
 Ocasionalmente, essa dor pode irradiar para o braço. Vale lembrar que a dor no peito pode apontar para muitos problemas diferentes, incluindo problemas cardíacos graves e deve sempre ser verificada por um médico, principalmente quando suspeitamos de diagnósticos diferenciais como as cardiopatias.

Exame Físico

Pacientes com costocondrite apresentam:
⦁ Dor torácica reproduzível pela palpação da área afetada, com 2 a 5 costelas em média acometidas
⦁ Os fatores agravantes podem ser sobrecarga de peso ou exercícios.
⦁ Frequentemente, ocorre após uma doença recente com tosse ou após exercícios intensos e, principalmente, de origem unilateral. 
⦁ Pode haver uma contratura associada da musculatura costovertebral e costotransverso correspondentes no exame.
⦁ Perda do movimento normal da coluna associada à dor no peito. 
⦁ A palpação deve ser realizada com 1 dígito, na face anterior, posterior e lateral do tórax, na clavícula, na coluna cervical e torácica. Quando na área afetada revela uma dor reprodutível que pode sugerir costocondrite, mas não pode ser totalmente concluída. 
⦁ A palpação de movimento é um processo manual de mover uma articulação até sua amplitude máxima de movimento final. Este ponto final do movimento articular constitui a base para determinar o movimento articular normal ou anormal. Quando a palpação do movimento é reduzida, a articulação é considerada fixa ou hipocinética. 
⦁ Causas cardíacas devem ser descartadas em pacientes que apresentam alto risco.

Causas da costocondrite

A costocondrite tem muitas causas potenciais e, em alguns casos, não está claro exatamente o que pode ter causado a dor. No entanto, existem certos fatores recorrentes que apontam para causas prováveis. Uma delas é sofrer repetidas lesões no peito por causa de golpes fortes durante atividades físicas (como lutas ou esportes com contato físico). Esse trauma, que pode surgir durante esportes de contato como resultado de colisões, também acontece em outras atividades devido a um objeto, como uma bola, o que pode aumentar significativamente as chances de costocondrite. Outras tensões frequentes na caixa torácica também podem ser um fator contribuinte, assim como infecções no peito, sejam respiratórias, fúngicas ou bacterianas. O tórax é particularmente suscetível a quem fuma e também que tem doenças respiratórias como asma e bronquite.

Diagnóstico diferencial

Separei alguns principais  e que estão associados a morbidade e mortalidade importantes:
⦁ Síndrome Coronariana Aguda (SCA)
⦁ Pneumotórax: ar na cavidade pleural
⦁ Pneumonia: é uma forma de infecção respiratória aguda causada mais comumente por vírus ou bactérias
⦁ Embolia pulmonar: é um bloqueio de uma das artérias pulmonares nos pulmões.
⦁ Síndrome de Tietze , muito menos comum que a costocondrite, tende a ser acompanhada por um inchaço na área. Além disso, a dor no peito surge repentinamente, movendo-se regularmente para os braços e ombros, e dura consideravelmente mais do que a costocondrite.
⦁ Xifoidalgia: edema doloroso e desconforto do processo xifóide do esterno 
⦁ Síndrome de Costela Deslizante : hipermobilidade das extremidades anteriores das cartilagens costais da falsa costela 

Distinção da Síndrome de Tietze

A condição costuma ser confundida com a síndrome de Tietze, mas as duas podem ser distinguidas. 

Tratamento e Gestão

Embora a costocondrite em si não deva causar nenhum problema maior além de um período de dor, é importante consultar um médico para que ele possa ter certeza de que você está sofrendo dessa condição e não de um problema cardíaco ou tóracico. As doenças cardíacas, por exemplo, podem causar dores no peito semelhantes. Tendo verificado que sua condição é costocondrite, você terá o tratamento médico e orientação. Nesse ínterim, você deve descansar de quaisquer atividades que possam agravar a lesão, como a prática de esportes de contato ou atividades que exijam movimentos torácicos vigorosos. 

Faça apenas atividades que não desencadeie a dor, até resolução do quadro. Se precisar de algo ou tiver dúvidas me chame.
Bons treinos, valente!

REFERÊNCIAS

https://www.anapaulasimoes.com.br/nossos-artigos/dores-na-corrida/

⦁ PROULX A e TERESA W .; Costocondrite: Diagnóstico e Tratamento; Am Fam Physician.  15 de setembro de 2009; 80 (6): 617-620
⦁ Clemens WM. et al. ; Introdução à reconstrução da parede torácica: anatomia e fisiologia do tórax e indicações para reconstrução da parede torácica; Semin Plast Surg. ; 2011; 25 (1): 5-15
⦁  Safarini OA, Bordoni B.  ⦁ Anatomia, Tórax, Costelas . InStatPearls [Internet] 19 de fevereiro de 2019. Publicação de StatPearls. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK538328/  (último acesso em 14.4.2020)
⦁ Schumann JA, Parente JJ. ⦁ Costochondritis. Disponível em:⦁  https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK532931/(último acesso em 29.4.2020)
⦁ Fam AG, Smythe HA, Dor musculoesquelética na parede torácica, Can Med Assoc J. Sept 19851; 133 (5): 379-389
⦁ Gregory PL, BISWAS AC, Batt ME, Problemas musculoesqueléticos da parede torácica em atletas, Sports Med., 2002; 32 (4): 235-50.
⦁  Hurst JW, Morris DC, Williams BR “Dor no peito” em pacientes com costocondrite ou síndrome de Tietze, Wiley-Blackwell, 2001, p23-29
⦁  Han JN et al .; Função respiratória dos músculos da caixa torácica; European Respiratory Journal ISSN 0903 1993. 
⦁ Proulx AM, Zryd TW. ⦁ Costocondrite: diagnóstico e tratamento. Médico de família americano. 15 de setembro de 2009; 80 (6): 617-20. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19817327 (último acesso em 29.4.2020)

Dra. Ana Paula Simões
Médica do esporte, ortopedista e traumatologista, professora instrutora e mestre pela Santa Casa de São Paulo, especialista em medicina esportiva e cirurgiã do tornozelo e pé.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Entre em contato!