Diretrizes da OMS sobre atividade física de 2020

Diretrizes da OMS sobre atividade física de 2020

A atualização das diretrizes da OMS sobre atividade física de 2020, comparada com as recomendações anteriores da OMS publicadas em 2010, reafirma que qualquer atividade física é melhor do que não praticar nenhuma e fornece uma nova recomendação sobre redução de comportamentos sedentários.

O estudo revisou as evidências para avaliar associações entre atividade física e comportamento sedentário, incluindo: crianças, adolescentes, adultos, idosos e grupos específicos.

Essas diretrizes da OMS sobre atividade física destacam a importância da atividade física ser realizada regularmente, abordando fortalecimento aeróbio, muscular e, pela primeira vez, existem recomendações para populações específicas, incluindo mulheres grávidas, puérperas e pessoas que vivem com condições crônicas e/ou com deficiência.

Dessa forma , a diretriz apresenta as recomendações de atividade física, seus benefícios e o que cada grupo pode fazer para evitar comportamentos sedentários que resumimos a seguir:

1- Crianças e adolescentes (com idade entre 5 e 17 anos), incluindo aqueles que vivem com deficiência, a atividade física confere muitos benefícios:

  • Aptidão física (aptidão cardiorrespiratória e muscular);
  • Saúde cardio-metabólica (pressão arterial, dislipidemia, glicose e resistência à insulina), saúde óssea, resultados cognitivos (desempenho na escola) e saúde mental (redução dos sintomas de depressão) e redução da obesidade.

É recomendado que:

  • Crianças e adolescentes devem fazer pelo menos uma média de 60 minutos/dia de moderada a forte;
  • Intensidade, principalmente aeróbica, toda semana;
  • Atividade aeróbica de intensidade forte, bem como aquelas que fortalecem os músculos e o osso;
  • Devem ser incorporados pelo menos 3 dias na semana;
  • Crianças e adolescentes devem limitar a quantidade de tempo gasto sendo sedentário, particularmente a quantidade de tempo nos computadores, smartphones, vídeo game, etc.

2- Adultos (com idade entre 18-64 anos), incluindo aqueles com condições crônicas e aqueles que vivem com incapacidade, a atividade física confere muitos benefícios:

  • Todas as causas mortalidade: por doença cardiovascular, hipertensão, diabetes tipo 2, cânceres, saúde mental (redução dos sintomas de ansiedade e depressão), saúde cognitiva e do sono, dislipidemia (colesterol/ triglicérides aumentados), entre outros.

É recomendado que:

  • Todos os adultos devem realizar atividade física regular.
  • Adultos devem fazer pelo menos 150-300 minutos de atividade aeróbica intensidade moderada ,ou pelo menos 75-150 minutos de atividade aeróbica de intensidade forte, ou uma combinação equivalente de intensidade moderada e forte , sendo realizadas ao longo da semana para benefícios substanciais à saúde; (em comparação com as diretrizes anteriores que se concentraram em alcançar pelo menos 150 minutos de intensidade moderada ou 75 min de intensidade forte por semana).
  • Adultos também devem fazer fortalecimento muscular com atividades moderadas ou de intensidade forte que envolve todos os principais grupos musculares em 2 ou mais dias por semana, fornecendo benefícios adicionais à saúde.
  • Adultos podem aumentar intensidade moderada de atividade física aeróbica até> 300 min, ou fazer > 150 min de aeróbica com intensidade forte, ou uma combinação entre elas ao longo da semana para benefícios de saúde adicionais (quando não contra-indicado para aqueles com condições crônicas).

Para ajudar a reduzir os efeitos prejudiciais de altos níveis de comportamento sedentário na saúde, os adultos devem ter como objetivo fazer mais do que os níveis recomendados de moderado a forte de atividade física.

3- Adultos mais velhos (com 65 anos ou mais) incluindo aqueles com doença crônica e aqueles que vivem com alguma deficiência:

Em adultos mais velhos, a atividade física também ajuda a prevenir quedas, lesões e declínios da saúde óssea e capacidade funcional.

É recomendado que para todos adultos mais velhos:

(Em comparação com as diretrizes anteriores e que excluía aqueles com mobilidade reduzida. Esta mudança reconhece o grande volume de evidências demonstrando efeitos benéficos inequívocos desta atividade física para capacidade funcional e diminuição do risco de quedas em idosos).

  • Como parte de sua atividade física semanal, os adultos mais velhos devem praticar atividades variadas que enfatizem o equilíbrio funcional e treinamento de força em intensidade moderada ou maior em 3 ou mais dias por semana, para aumentar a capacidade funcional e prevenir quedas.

4- Grávidas / puérperas:

São benefícios para saúde materna e fetal: redução do risco de pré-eclâmpsia, hipertensão gestacional, diabetes gestacional, excessivo ganho de peso, complicações no parto e depressão pós-parto, risco de aborto, complicações neonatais ou efeitos adversos no peso ao nascer.

Recomenda-se que todas as mulheres grávidas e puérperas sem contra indicação devem:

  • Realizar atividade física regular durante a gravidez e pós-parto;
    Fazer pelo menos 150 min de intensidade leve-moderada atividade física aeróbica durante toda a semana para benefícios substanciais à saúde;
  • Incorporar uma variedade de aeróbicos e fortalecimento muscular, adicionando alongamento suave também que também pode ser benéfico.
    Mulheres que, antes da gravidez, costumavam praticar atividade aeróbica de intensidade forte ou quem estava fisicamente ativa pode continuar essas atividades durante a gravidez e no período pós-parto.

Uma questão adicional relacionada às recomendações de sedentarismo foi a decisão de optar especificamente pelo uso do termo ‘’comportamento sedentário’’ em vez de ‘’tempo sentado’’, que tem sido comumente usados em várias diretrizes nacionais.

Essa escolha de foi deliberada e feita para incluir pessoas que vivem com deficiência e, portanto, enfatizar as opções para reduzir comportamento sedentário entre usuários de cadeiras de rodas e pessoas com baixa mobilidade, onde ficar sentado por muito tempo pode ser inevitável.

Para essas pessoas, o tempo sedentário pode ser minimizado por meio da atividade física enquanto permanecendo sentado.

Os benefícios da prática de atividade física vão além do setor da saúde, como evidência em diversos outros campos que demonstram como ela afeta positivamente impactos sociais, econômicos e ambientais nas populações fisicamente ativas .

Agora é hora de trabalhar para garantir e apoiar a adoção e implementação destes novas diretrizes para melhorar a qualidade de vida da população.

Vamos aplicar as novas diretrizes da OMS sobre atividade física?

Ana Paula Simões – CRM 108667/ SP – RQE Medicina Esporte: 67412 RQE Ortopedia:28753
Juliana Ferrari Gaspar – acadêmica de medicina da Universidade de Franca

Referencia: BMJ jornalus

 

Não há comentários

Poste um Comentário